Clipping

Site A Gazeta
04/07/2023
Projeto leva cinema para ruas e praças em 5 cidades do ES; veja programação
Gustavo Cheluje

“Curta Vitória a Minas II” inicia fase de exibição dos curtas selecionados, Ao todo, cinco municípios do Estado recebem a ação,  começando por Aracruz, nesta terça (4), a partir das 19h30

Sob o mantra “o artista vai aonde o povo está”, o Curta Vitória a Minas II inicia a fase de exibição dos projetos selecionados, levando a magia da telona de cinema para ruas e praças de cidades capixabas e mineiras. No ES, as exibições acontecem terça (4), em Aracruz; quarta (5), em Ibiraçu; quinta (6), em João Neiva; sexta (7), em Colatina, e sábado (8), em Baixo Guandu, com entrada franca.

Após passar por terras capixabas, a iniciativa parte para as cidades mineiras de Aimorés (9), Ipatinga (12), Naque (13), Coronel Fabriciano (14) e Nova Era (15). 

Serão dez títulos exibidos em um “caminhão-cinema” equipado com uma estrutura com telona de 9×6 metros, projetores, sistema de sonorização e cadeiras para acomodar os espectadores. Em pauta, curtas-metragens feitos com o envolvimento das comunidades de cada município que recebe o cinema itinerante.

“O projeto potencializa essa dimensão coletiva própria do cinema, porque sensibiliza, motiva e mobiliza pessoas de variadas idades, profissões e interesses das comunidades”, acredita Beatriz Lindenberg, coordenadora do Instituto Marlin Azul e desenvolvedora do Curta Vitória a Minas II.

“No decorrer do processo de produção do filme, o autor envolve uma rede de moradores que incluem artistas, técnicos, estudantes, familiares e amigos, com os quais compartilha os novos conhecimentos no campo audiovisual. A criação dos filmes acaba se dando dentro deste ambiente colaborativo de aprendizado, que conta com a participação de profissionais do cinema”.

DIVERSIDADE

Durante o circuito, as cidades assistirão a uma mostra de obras com diversidade criativa e temática. Temas como a poesia e a nostalgia das memórias de infância, a simplicidade e os desafios da vida no campo, as relações e os vínculos familiares, o fortalecimento de valores e riquezas ancestrais, a esperança e a superação contra a escassez e a jornada interior em busca do auto-conhecimento, entram como destaque.

A nova coletânea de filmes apresenta ainda assuntos como o acolhimento a mulheres em situação de vulnerabilidade social que enfrentam a gravidez na adolescência e/ou a violência obstétrica, a transformação de vidas através do empreendedorismo e associativismo e até a história e a contribuição do movimento rock’n’roll na construção da identidade de uma cidade.

Em cada sessão, a comunidade assiste ao filme do lugar e a obras feitas por outros autores selecionados pelo projeto. Na noite de abertura, nesta terça (4), em Santa Cruz, Aracruz (ES), acontece – além da projeção dos títulos selecionados pela empreitada – o lançamento da animação “A Concha me Contou”, feito por estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Nova Santa Cruz dentro do Projeto Animação Ambiental, outro braço desenvolvido pelo Instituto Marlin Azul, desta vez em parceira com a Imetame.

Curta “A Concha me Contou”, criado por alunos de escola pública municipal de Aracruz, será exibido nessa terça (4), em Santa Cruz. Crédito: Instituto Marlin Azul

Na animação, uma concha encontra Gabriela para revelar-lhe um segredo: encontrar a maior árvore do lugar e fazer com que ela se levante. 

“Ao reunir os moradores das cidades em ruas e praças, o projeto promove uma experiência diferente dentro do universo do cinema. Os curtas se comunicam com os lugares, se aproximam das pessoas e fortalecem a identidade de cada território. É uma oportunidade de estar junto e assistir a obras feitas através das perspectivas de moradores das cidades: de moradores para moradores”, complementa Beatriz.

CIRCUITO DE EXIBIÇÃO DO CURTA VITÓRIA A MINAS II

  • QUANDO: De 04 a 15 de julho, com a exibição de 10 curtas integrantes do projeto desenvolvido pelo Instituto Marlin Azul
  • COMO ASSISTIR: Entrada franca
  • PROGRAMAÇÃO
  • Terça (4), às 19h30. Avenida Presidente Vargas, Santa Cruz, Aracruz
  • Quarta (5), às 19h30. Praça pública do Bairro Ericina, Ibiraçu
  • Quinta (6), às 19h30. Avenida Presidente Vargas, João Neiva
  • Sexta (7), às 19h30. Área verde de eventos da Avenida Beira-Rio, em Colatina
  • Sábado (8), às 19h30. Local a confirmar em Baixo Guandu
  • Domingo (9), às 20h30. Rua Coronel Francisco Correia de Barros, ao lado do ginásio polisportivo, em Aimorés (MG)
  • Quarta (12), às 19h30. Parque Ipanema, Ipatinga (MG)
  • Quinta (13), às 19h30. Avenida José Martins Moraes Júnior, Naque (MG)
  • Sexta (14), às 19h30. Praça da Estação, em Coronel Fabriciano (MG)
  • Sábado (15), às 19h30. Praça do Morro do Padre, Nova Era (MG)

CONHEÇA OS FILMES E DIRETORES DO CIRCUITO

  • Reciclando Vidas e Sonhos, de Ana Paula da Conceição Imberti. Ibiraçu – ES
  • Documentário: Uma mulher negra, filha de lavradores, cresceu com os ensinamentos da família sobre a importância de estudar e aprender o trabalho na roça. Anos se passaram até que ela descobre através do associativismo uma forma de ajudar as pessoas e transformar sonhos em realidade.
  • O T-Rex e a Pedra Lascada, de Luan Ériclis Damázio da Silva. João Neiva – ES
  • Ficção: No Condado da Lua corre uma lenda antiga sobre um espírito guardião adormecido na raiz de uma árvore à beira do rio. Ganga, Tule e Dara descobrem uma forma de despertá-lo.
  • Colatina, a Princesa do Rock, de Nilo José Rezende Tardin. Colatina – ES
  • Documentário: Quando o tempo corria lento às margens do Rio Doce, Colatina, a Princesa do Norte, foi uma das primeiras cidades capixabas a viver a rebeldia de uma geração barulhenta provocada pelo rock’n’roll cuja herança continua presente no estilo e modo de vida dos colatinenses.
  • O Último Trem, de Fabrício Machado Bertoni. Colatina – ES
  • Ficção: A passagem do último trem na rua principal do centro de Colatina (ES) em outubro de 1975 é o ponto de partida para criação deste drama que envolve uma família vendedora de cocada na estação.
  • Um Ponto Rotineiro, de Jaslinne Pyetra Matias dos Santos. Baixo Guandu – ES
  • Ficção: O poder de voltar no tempo guardado nas memórias. Agora, confrontada com o passado, decepcionada com o presente e assustada com o futuro, Laura decide fazer uma escolha e dá o primeiro passo.
  • Lia, Entre o Rio e a Ferrovia, de Elisangela Bello Pereira Barcellos. Aimorés – MG
  • Ficção: Os sonhos e a imaginação de uma menina que faz dos livros um ponto de partida para viagens que ultrapassarão as fronteiras de sua cidade, assim como o movimento do Rio e da Ferrovia que vai marcar toda sua vida.
  • Santa Cruz, de Rita de Cacia Bordone. Ipatinga – MG
  • Ficção: Manter a tradição sem perder a fantasia é o fio condutor desta obra baseada em fatos reais que mistura as cores encantadas da infância, o bailado do jogo de fitas, a magia das canções e as histórias contadas pela mãe da diretora durante as festas em devoção à Santa Cruz.
  • Holerite, de Ademir de Sena Moreira. Naque – MG
  • Ficção: O esforço, a alegria e a criatividade de um menino pobre para enfrentar a vida no interior mineiro, no início dos anos 70, formam o coração desta história baseada em fatos reais.
  • Um Olhar para a Maternidade, de Patricia Araújo Azevedo Alves. Coronel Fabriciano – MG
  • Documentário: Como a informação, a solidariedade e o acolhimento podem ajudar mulheres em situação de vulnerabilidade social a abraçar a maternidade mesmo diante das dificuldades.
  • Bicicleta Envenenada, de Luciene da Conceição Mendes Crepalde. Nova Era – MG
  • Ficção: Era apenas um passeio na feira da cidade, assim pensava Dezinha, quando, de repente, algo aconteceu e jamais foi esquecido pela menina.
plugins premium WordPress

Ficha de Inscrição

Assine

* indicates required